A Técnica Francesa é mais científica e foi criada recentemente na França por Paul Nogier. Os pontos da escola francesa se baseiam na reflexologia e também em um feto de ponta cabeça (semelhante a técnica chinesa), constituindo um tipo microssistema, que pode refletir todas às mudanças fisiológicas do corpo humano.

 

Quando ocorre uma desarmonia em qualquer parte do corpo, esta é refletida na orelha, relacionadas a cada enfermidade em particular. A escola francesa é fundamentada na neurofisiologia, e nesta escola, são utilizados apenas 30 pontos reflexos, e não são utilizados métodos invasivos como na escola chinesa. A escola francesa utiliza como diagnóstico a Pulsologia francesa e a obtenção do V.A.S. ou Sintoma Autônomo Vascular.

 

Tanto a escola francesa, quanto a chinesa, possuem a mesma finalidade e objetivo, para tratar os sinais e sintomas existentes em nosso corpo. Ambas atuam no âmbito físico, mental e emocional do paciente.